Sunday, 20 September 2015

Teatro do Ginásio

Os bicos de gás do Ginásio tinham um fulgor de festa. E Ega deu de rosto com o Craft, que atravessava do lado do Loreto, de gravata branca e flor no paletó.
(QUEIROZ, Eça de, Os Maias, 1888)


Ocupando os terrenos do antigo Palácio Geraldes, o Teatro do Ginásio abre portas em 17 de Maio 1846, com o drama «Paquita de Veneza ou Fabricantes de Moeda Falsa», onde estreia o actor Taborda e, a farsa «A Herdeira». Embora um espaço exíguo e incómodo é, através do seu reportório, essencialmente cómico, um dos espaços teatrais mais frequentados. Ao seu êxito não são indiferentes os monarcas que, após as remodelações de 1852,  aí adquirem um camarote.

Teatro do Ginásio, antigo Gymnasio Lisbonense [c. 1900]
Rua Nova da Trindade, antiga Tv. do Secretário da Guerra
Fotógrafo não identificado, in Lisboa de Antigamente

Sousa Bastos descreve como “Suas Magestades manifestaram desejos de assistir àquelles espectaculos; mas o theatro era de tal ordem, que não podia recebel-as. Começaram então os socios a pensar em demolir o nojento barracão, sujo, tortuoso, de escadas íngremes e corredores acanhados e no mesmo local mandaram construir uma decente e commoda casa d’espectaculos.” [Bastos: 1908]
 
Vários actores de renome pisaram os palcos do Ginásio, e companhias hoje consideradas basilares do teatro português foram responsáveis pela exploração do espaço: foi o caso da empresa Maria Matos-Mendonça de Carvalho entre 1916 e 1918, Lucinda Simões na época de 1919-1920 e a companhia Alves da Cunha na época de 1920-1921.

 
Foi precisamente nesta época, a 6 de Novembro de 1921 (estava em cena o espectáculo O Célebre Pina), que um incêndio irrompeu de madrugada deixando o teatro em escombros.
 
 
Combate ao incêndio no Teatro do Ginásio
na madrugada de 6 de Novembro de 1921
 
 
 
Em 1925, a sua reconstrução é entregue ao arq.º João Antunes. O novo edifício tinha toda a comodidade necessária, podendo mesmo dizer-se que tinha luxo e tecnologia. Mesmo assim, a afluência do público decresceu acabando a direcção por recorrer à solução que muitos espaços adoptaram na altura, apresentando cinema a par do teatro. Em 1932 esta solução tornou-se permanente, com o novo nome Cine-Ginásio, e a década de 40 foi pautada quase exclusivamente pela projecção de cinema..[Instituto Camões]

Palco do Teatro do Ginásio, antigo Gymnasio Lisbonense [c. 1900]
Rua Nova da Trindade, antiga Tv. do Secretário da Guerra
Alberto Carlos Lima, in Lisboa de Antigamente
 
O fim do Ginásio ocorreu em 1952 com a demolição do interior. Nos anos 80, durante as obras, encontra-se um torreão da muralha fernandina, desde então exposto ao público. A fachada é imóvel de interesse público, desde 1983. Actualmente transformado em espaço comercial.

Teatro do Ginásio, antigo Gymnasio Lisbonense [1944]
Rua Nova da Trindade, antiga Tv. do Secretário da Guerra
Eduardo Portugal, in Lisboa de Antigamente

2 comments:

Web Analytics