Friday, 17 June 2022

Rua de Dom Duarte

Pelo edital da CML de 3 de Novembro de 1949, o troço da Rua dos Fanqueiros, compreendido entre a Praça da Figueira e a Rua da Palma, passou a denominar-se: Rua de Dom Duarte.

Dom Duarte, filho de D. João I, Mestre de Avis e de D. Filipa de Lencastre, nasceu em Viseu, a 31 de Outubro de 1391 e faleceu em Tomar, a 13 de Setembro de 1438. Foi o décimo primeiro rei de Portugal e o segundo da segunda dinastia tendo ascendido ao trono com a morte de seu pai em 1433.
Em relação à política interna promulgou a Lei Mental, medida de centralização que se destinava a defender o património da coroa. O seu curto reinado, de apenas cinco anos, ficou também marcado pela passagem do cabo Bojador por Gil Eanes, feito que permitiu uma mais rápida exploração da costa africana.
Com o apoio da sua mulher a rainha D. Leonor de Aragão e dos seus irmãos infantes D. Fernando a D. Henrique e a oposição dos irmãos infantes D. Pedro a D. João, lançou-se na política de conquistas em Marrocos, que se saldou pelo desastre militar de Tânger e pela morte de D. Fernando no cativeiro.

Rua de Dom Duarte [195-]
Ao fundo, a Rua da Palma; à dir., a extinta Rua Silva e Albuquerque; o sentido do trânsito foi alterado durante o período em que tiveram lugar as demolições na Mouraria (para construção da Praça Martim Moniz).
Judah Benoliel, in AML

Sunday, 12 June 2022

Rua do Açúcar, 16: Palácio Bettencourt / Pátio do Beirão

No início da Rua do Açucar, alinha-se um conjunto de habitações destinadas a operários. Destacam-se o Pátio do Beirão, nascido a partir do solar da antiga Quinta do Bettencourt. Rua do Açúcar é um topónimo cuja data de atribuição se desconhece mas que será seguramente a partir do século XVI, já que a denominação deriva, como refere Ralph Delgado, de uma refinaria de açúcar existente nesta rua, num dos prédios colocados a seguir à segunda Quinta da Mitra. Esta indústria era pertencente, em 1763, a um súbdito inglês, Christian Smith que morava na Quinta do Bettencourt, e ainda existia em finais do século XVIII (quando integrava o morgadio do Esporão), como nos refere a obra Pelas Freguesia de Lisboa – Lisboa Oriental. [cm-lisboa.pt]

Rua do Açúcar, 16: Palácio Bettencourt / Pátio do Beirão [1967]
Antiga Direita do Açúcar
Palácio Bettencourt / Pátio do Beirão
Vasco Gouveia de Figueiredo, in AML

Da refinaria não subsistem vestígios. Sucessivamente arrendada, a quinta acabou por ser ocupada por trabalhadores das fábricas, mantendo o portal setecentista como testemunho do seu passado nobre.

Rua do Açúcar, 16: Palácio Bettencourt / Pátio do Beirão [1967]
Antiga Direita do Açúcar
Palácio Bettencourt / Pátio do Beirão, portal setecentista
Vasco Gouveia de Figueiredo, in AML

Friday, 10 June 2022

Quiosque da Rua da Palma

A Morte dos Quiosques
No vasto plano de remodelação citadina o camartelo municipal entendeu que devia demolir vestígios da antiga cidade. Procurou fazê-lo com bom senso. (...) Alguns, senão todos, de inestética memoria, lá foram ao garrote e deles existe hoje somente o sítio onde se ergueram, onde a concorrência heterogénea acampou durante muitos anos, gostando principalmente das suas libações.
(in O Notícias Ilustrado de 6 de Janeiro de 1929)

Quiosque da Rua da Palma [1929]
Ourivesaria Cunha; edifícios e arruamentos extintos aquando das demolições na Mouraria nas décadas de 1930-40.
Fotógrafo não identificado, in Arquivo do Jornal O Século

Sunday, 5 June 2022

Rua de São João da Mata, 92

Quem só o olha de frente talvez nem se dê conta, mas, visto de lado, este prédio na Rua de São João da Mata, entre os bairros da Lapa e de Santos, em Lisboa, é espantosamente estreito. Actualmente, depois de outros terem sido demolidos, este, com o número de policia 92, está identificado pelo Gabinete de Estudos Olisiponenses como o prédio mais estreito da capital. Imaginar o interior, a organização das divisões e a disposição de mobiliário é um exercício com resultado inglório, a não ser que se use de muita criatividade, algo que, afinal de contas, foi conseguido pelos actuais proprietários, donos de uma marca de alojamento local.

Rua de São João da Mata, 92 [c. 1900]
O prédio mais estreito da cidade
Machado & Souza, in AML

A fachada deste prédio mede 17 metros e a parede lateral direita não vai além do 1,65 metros, menos que a altura de um adulto médio. À esquerda, a parede é mais larga, visto que a fachada tardoz vai ganhando espaço ao terreno das traseiras, pertencente ao Instituto Hidrográfico. (jn DN)

Friday, 3 June 2022

Rua de Buenos Aires

Eis-nos na Rua de Buenos Aires — diz Norberto de Araujo — , que nasce dos Navegantes e pela qual a linha de eléctrico até Garcia de Orta, continuando Buenos Aires até às terras que deram o nome ao Chafariz das Terras. Também esta artéria tem pouco que referir, pois não leva mais que oitenta anos (*), de seu começo mal edificada.==
(Norberto de Araújo, Peregrinações em Lisboa, vol. VII, p. 49, 1938)

Rua de Buenos Aires [ant. 1895]
À dir., a Rua de São Ciro e o Palacete que foi dos Viscondes dos Olivais
Francesco Rocchini, in AML
(*) O autor escreve em 1938

Desconhece-se quando e porquê se fixou este topónimo na memória de Lisboa, apenas se sabendo, de acordo com Gomes de Brito, que era o “Sítio de Bonés Ares” tal como é referido na Relação universal de 1786 e mais tarde, surge também no Itinerário lisbonense de 1818 como «Rua de Buenos Ayres»
Web Analytics