sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Elevador de São Julião

O elevador do Município, também conhecido como elevador da Biblioteca ou elevador de S. Julião, foi o sétimo elevador a ser construído em Lisboa. A sua construção foi financiada pelo Dr. João Maria Ayres de Campos. O seu autor foi o famoso Eng. Raoul Mesnier de Ponsard, o mesmo do Elevador de Santa Justa. À semelhança deste último, também subia na vertical a uma altura de 29,6 metros até ao primeiro pavimento, do qual saía um viaduto à altura de 20 metros sobre a Calçada de São Francisco. Foi Inaugurado em 1897 e funcionou até 1915 e a estrutura foi desmantelada em 1920, sendo substituído pelo carro eléctrico da Rua da Conceição – Calçada de São Francisco - Camões.

Calçada de São Francisco [ant. 1920]
Eduardo Portugal, in AML

A entrada fazia-se pela porta de uma residência particular, o n.º 13 de Largo de S. Julião, e a saída fazia-se igualmente por outra residência particular, pelo terraço do Palácio do Visconde de Coruche, no então Largo da Biblioteca (hoje Lg. Academia de Belas-Artes, 13).
Este elevador ficou ligado à intentona de 28 de Janeiro de 1908, conhecida como Golpe do Elevador da Biblioteca, em que conspiravam carbonários, republicanos e dissidentes progressistas. Foram presos António José de Almeida, Afonso Costa, Álvaro Poppe e mais suspeitos, num total de noventa e três conspiradores.

Calçada de São Francisco [ant. 1920]
Fotógrafo não identificado, in AML

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics