Saturday, 21 May 2016

Igreja de São Julião

A primitiva Igreja de S. Julião não se encontrava no local que ocupa hoje, mas sim a norte da Igreja de Nossa Senhora da Oliveira (cruzamento da Rua de S. Julião com a Rua Augusta).
Com a destruição causada pelo terramoto de 1755 a igreja foi reconstruída no local onde outrora se erguera a Patriarcal de D. João V, igualmente arrasada pela catástrofe. A reconstrução foi concluída em 1810. Seis anos depois, um incêndio destruiu o recheio do templo, que teve de sujeitar-se a novas obras, as quais se prolongaram até 1854. Em 1910, o Conselho Geral do Banco de Portugal decidiu comprar a antiga Igreja de São Julião e os seus anexos, devido ao crescimento do Banco. De 1910 a 1933 decorreram as negociações entre o Banco de Portugal e a Arqui-confraria de São Julião. Em 7 de Junho de 1933, foi celebrada a escritura de compra e venda do edifício, altura em que foi dessacralizada. 

Igreja de São Julião [c. 1950]
Largo de São Julião; em segundo plano destaca-se a fachada dos Paços do Conselho

António Passaporte, in AML

Em 30 de Novembro de 1938, o Banco submeteu à Câmara Municipal de Lisboa (CML) um anteprojecto elaborado pelo arq.º Porfírio Pardal Monteiro, a fim de substituir por um único prédio os diversos edifícios que constituíam o conjunto da sede e da antiga Igreja de S. Julião e anexos. Todavia, esse requerimento não teve resposta favorável da edilidade.Posteriormente o Banco decidiu aproveitar os espaços disponíveis para áreas técnicas, casas fortes, arquivos e, ainda, estacionamento temporário para cargas e descargas de materiais, equipamentos e pessoas.A decisão para a reabilitação e restauro do edifício da Sede do Banco de Portugal foi tomada em 2007, tendo em conta a necessidade de reabilitação geral do edifício, incluindo o seu reforço estrutural; o cumprimento dos Euro-códigos em termos de resistência antissísmica e protecção contra incêndios; a adopção de vários dispositivos de segurança e de saídas de emergência; e a instalação do Museu do Dinheiro.

Igreja de São Julião [1961]
Largo de São Julião

Mário Costa, in AML

2 comments:

  1. Desculpem, mas não me parece que a fachada dos Paços do Concelho esteja em segundo plano (na segunda foto)... Está à direita, não visível.

    Carlos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tem razão. Malefícios do "copy/paste da foto anterior. Vou corrigir a legenda.

      Delete

Web Analytics