Monday, 26 October 2015

Hospital de Sant'Ana

O antigo sanatório de Sant'Ana e actual hospital ortopédico, pertença da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, conserva a sua imponência arquitectónica, destacando-se pela longa fachada, paralela à avenida Marginal. Edificado no início do século XX, este edifício deixa adivinhar o gosto ecléctico que vigorava na arquitectura portuguesa de então, mas aliado, aqui, a uma profunda capacidade funcional,... bem expressa na articulação de espaços, serviços e equipamentos.
A história da construção do hospital foi, inicialmente, algo conturbada. Deve-se a sua iniciativa ao casal D. Amélia e Frederico Biester, que contaram desde logo com o apoio do reputado médico Dr. Sousa Martins. A questão dos sanatórios encontrava-se na ordem do dia, e o local escolhido preenchia os requisitos necessários para tais instituições. O primeiro projecto para o sanatório foi concebido por José António Gaspar, arquitecto professor na Academia de Belas Artes. Todavia, o falecimento dos fundadores levaram-no a abandonar a obra, que seria retomada pela herdeira de D. Amélia, Claudina de Freitas Chamiço. O arquitecto então chamado foi Rosendo Carvalheira, ao qual estavam ligados outros profissionais que também aqui intervieram. Eram eles Norte Júnior, António do Couto, Marques da Silva e Álvaro Machado. (...)


Hospital de Sant'Ana [Início séc. XX]
Avenida Marginal; Avenida Vasco da Gama, Parede, Cascais

Fotógrafo não identificado, in AML

De acordo com esta leitura, o novo arquitecto teria sido responsável pela introdução, nos planos anteriores, de uma maior e mais eficaz funcionalidade, que respeitava mesmo "as prescrições (...) para as construções hospitalares usadas desde 1901 em França e aconselhadas em Portugal desde 1902". Por outro lado, o moderno sistema de ventilação empregue foi elogiado nas revistas de arquitectura da época, destacando-se ainda a lavandaria anexa, que se liga ao edifício através de carris.
Lançada a primeira pedra a 7 de Agosto de 1901, o primeiro bloco foi inaugurado logo em 31 de Julho de 1904, muito embora o sanatório apenas ficasse concluído, na sua totalidade, em 1912.
Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público.
[in DGPC] 

No comments:

Post a Comment

Web Analytics