Tuesday, 21 July 2015

O Arsenal de Marinha no Terreiro do Paço

Neste local foi mandado construir por D. Manuel I os chamados estaleiros da Ribeira das Naus, a ocidente do novo palácio real, sobre o local das tercenas medievais.. O terramoto de 1755 destruiu esse importante complexo, tendo sido reconstruído em 1759 segundo projecto de Eugénio dos Santos. No início da segunda metade do séc XIX, o Arsenal da Marinha começa a adaptar-se à construção de navios de ferro movidos a vapor.

Fotografia aérea do Terreiro do Paçoo, destaca-se a antiga Doca Seca do Arsenal de Marinha e o Cais da Caldeirinha [entre 1930 e 1932] 
Manuel Barros Marques, in A.M.L.
Doca seca do Arsenal de Marinha e a Caldeira (esq) [ant. 1900]
Chaves Cruz, in A.M.L.

Nos fins do século XVI, ainda. no tempo do domínio filipino, construiram-se duas docas ou caldeiras lado a lado (uma elas quais era conhecida por caldeirinha, vd. 3ª foto), uma terceira doca de abrigo de pequenas embarcações, e duas carreiras de construção de barcos de guerra; e ainda, pelo tempo adiante, construíram-se naquele recinto, armazéns, oficinas e edictos para. serviços de administração.

Cais da Caldeirinha e a Casa da Balança  do Arsenal de Marinha [ant. 1939]
Eduardo Portugal, in A.M. L

A caldeira ocidental foi entulhada em 1864; a carreira de construção de oeste foi demolida. pouco antes de 1888. O dique teve origem no reinado de D. Ma.ria 1; foi reconstruido na segunda. metade do século XIX, e entulhado em 1948, assim como a caldeirinha aquando da abertura da Avenida da Ribeira das Naus.

Doca seca (ou de reparação) do Arsenal de Marinha [ant. 1939]
O dique do Arsenal de Marinha tinha 84 metros de comprimento útil, e 12 metros de largura
Eduardo Portugal, in A.M.L.

No comments:

Post a Comment

Web Analytics