Friday, 13 November 2015

Palácio Geraz do Lima (Condes da Folgosa)

Sobre a origem do topónimo «Rua da Palma», refere o olisipógrafo Norberto de Araújo o seguinte: 
«Esta Rua, desafogada, hoje constituindo uma única artéria, das trazeiras de S. Domingos ao Intendente, divide-se em dois troços. O primeiro chega só à Guia [Martim Moniz] e é muito antigo, havendo sido nos séculos velhos arruamento dos comerciantes alemães que cultivavam religiosamente a lenda da palma que florira na sepultura do cavaleiro cruzado Henrique, sacrificado na Tomada de Lisboa, em 1147; (...) O segundo trôço, «Rua Nova da Palma», data de 1862, e chegava até aqui ao Socorro, começando gradualmente a prolongar-se até ao Intendente; a Câmara começara a comprar terrenos de hortas e campos, que por aqui existiam, desde o ano de 1776.»
(ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. IV, pp. 24-25)

Palácio Geraz do Lima (Condes da Folgosa), Rua da Palma [1930]
Anterior à demolição parcial

Fotógrafo não identificado, in Arquivo do jornal O Seculo

Sobre o sítio do Socorro e o palácio que aqui existiu no século XIX, citamos o olisipógrafo Júlio de Castilho, que, por volta de 1900, afirmava o seguinte:
« (...) O palacio dos Porcilles, Porsili, ou Possilli (que assim, por estas variadas formas, se escrevia e pronunciava no publico esse apellido) ficava na freguesia do Socorro. (...) É o actual palácio que pertenceu ao Barão de Folgosa, depois a sua filha a snrª. Condessa de Geraz do Lima, e hoje [1903] ao 3º. viuvo d'esta senhora. Para este palacio, cuja entrada era por um portão defronte da egreja parochial do Socorro, antes da abertura do 2º. lanço da rua Nova da Palma foi transferido em 1813 o Collegio de Miguel Bourdiec, francez (...) O Collegio francez mudou-se em Julho de 1819 para a rua direita de S. Paulo, no. 5, e o palacio do Socorro alugava-se ou inteiro, ou em quartos separados.»
(CASTILHO, Júlio de, Lisboa antiga, 1903, vol. III, p. 15)

Palácio Geraz do Lima (Condes da Folgosa), Rua da Palma [1932]
Fotógrafo não identificado, in Arquivo do jornal O Seculo

O palácio Folgosa foi mandado construir, em 1891, por António de Sousa e Sá, Conde da Folgosa. Após a sua morte, o Palacete foi adquirido pela Câmara Municipal, que mandou demolir parte do edifício para rectificação e alinhamento da Rua da Palma, cerca de 1930.

Palácio (dos Condes da) Folgosa, Rua da Palma [1939]
Eduardo Portugal, in AML



No comments:

Post a Comment

Web Analytics