sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Largo Trindade Coelho

No ano de 1509 grassava em Lisboa uma grande peste, e o rei D. Manuel I mandou erguer junto ao cemitério, que se situava perto do Convento da Trindade, uma ermida a que chamou de São Roque para albergar uma relíquia do santo vinda de Veneza. Por essa altura um proprietário local, de nome Bartolomeu de Andrade, iniciou a construção de um conjunto de casas nas cercanias, a que se chamou Vila Nova de Andrade, ao Alto. Em 1553 os jesuítas tomaram conta de ermida e em 1555 iniciaram a construção de um majestoso templo, a actual Igreja de S. Roque.
E foi assim que a Vila Nova de Andrade, do Alto, que crescia junto ao convento, passou a ser conhecida por Bairro Alto de São Roque, e depois por Bairro Alto. Desta associação nasceu o topónimo Largo de São Roque, que passou a Largo Trindade Coelho por edital de 1913.

Largo Trindade Coelho, antigo Largo de São Roque [entre 1903 e 1908]
Ao fundo, a Calçada do Duque e a Rua Nova de Trindade

[Inscrição no original: «Marchand de dindon», que é como quem diz, vendedor de perus]
Charles Chusseau-Flaviens, in George Eastman House
(*) O local não se encontra identificado pelo fotógrafo

José Francisco de Trindade Coelho, destacado jurisconsulto, escritor e jornalista, nasceu em Mogadouro a 18 de Junho de 1861 e faleceu em Lisboa a 19 de Agosto de 1908.
Cursou Direito em Coimbra, cidade onde começou a escrever nos jornais sob o pseudónimo de Belistírio. Aí exerceu advocacia e fundou duas publicações: «Porta Férrea» e «Panorama Contemporâneo», [cm-lisboa.pt]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics