Sunday, 3 January 2016

Liceu Feminino de Maria Amália Vaz de Carvalho

O Licev Feminino de Maria Amália Vaz de Carvalho foi fundado em 1885 por iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa. As primeiras instalações situavam-se num edifício no Largo do Contador-Mor, em Alfama. Inicialmente chamava-se Escola Maria Pia. A Escola tem uma feição eminentemente prática, visando «iniciar no país o ensino de carreiras produtivas que podem e devem pôr a mulher (...) ao abrigo das necessidades, habilitando-a a ganhar honestamente os meios de subsistência», como consta do relatório da Escola Maria Pia relativo ao ano lectivo de 1885-1886. No início, tinha cerca de 45 alunas inscritas, terminando apenas com 26 alunas. Os primeiros cursos ministrados eram lavores, tipografia, telegrafia e escrituração comercial.

Liceu Feminino de Maria Amália Vaz de Carvalho [1958]
Maria Amália Vaz de Carvalho [1847-1921, escritora e poetisa, foi a primeira mulher a ingressar na Academia de Ciências de Lisboa, (eleita em 13-06-1912)
Rua Rodrigo da Fonseca, 115-115B
Salvador de Almeida Fernandes, in AML

Em 1906 a escola passou ao estatuto de liceu feminino, por decreto do rei D. Carlos. Passa a ser o primeiro liceu feminino em Portugal. Em 1911 é transferido para o Palácio Valadares, no Largo do Carmo, no Chiado. O liceu muda novamente de nome, em 1917, para Liceu Central de Almeida Garrett.

Liceu Feminino de Maria Amália Vaz de Carvalho [s.d.]
Maria Amália Vaz de Carvalho [1847-1921, escritora e poetisa, foi a primeira mulher a ingressar na Academia de Ciências de Lisboa, (eleita em 13-06-1912)
Rua Rodrigo da Fonseca, 115-115B com a Rua Sampaio e Pina
Fotógrafo não identificado

O problema das instalações continuava por resolver. Um primeiro projecto, da autoria do arquitecto Ventura Terra, entretanto falecido, acabará por ser substituído por outro (sendo seu continuador o arquitecto António Couto), o actual, embora baseado no anterior, nomeadamente no que se refere ao  átrio e à escadaria central. Por fim, no ano lectivo de 1933-1934, após alguns anos de luta para ver alterada as suas instalações para umas maiores o Liceu abre as suas novas e definitivas dependências na rua Rodrigo da Fonseca, passando a chamar-se de Liceu Feminino Maria Amália Vaz de Carvalho.[1]

Liceu Feminino de Maria Amália Vaz de Carvalho,  Átrio e escadaria central [s.d.]
Maria Amália Vaz de Carvalho [1847-1921, escritora e poetisa, foi a primeira mulher a ingressar na
Academia de Ciências de Lisboa, (eleita em 13-06-1912)

Rua Rodrigo da Fonseca, 115-115B com a Rua Sampaio e Pina
Fotógrafo não identificado

[1]] (BARROS, Teresa Leitão de – Os Nossos Liceus. In MOTTA, A.A. Riley, director; SEQUEIRA, F.J. Martins, subdirector – Liceus de Portugal. Lisboa: Boletim da Acção Educativa do Ensino Liceal. Liceus de Portugal. Nº 2 (Junho), 1940, p.86)

7 comments:

  1. O meu querido Liceu! Onde aprendi a "ter medo" das Professoras e da Reitora. Havia um respeito infinito. Nas aulas podia ouvir-se o silêncio. A disciplina era férrea! E nós, raparigas dos 10 ou onze até aos 18 ou dezanove anos, divertia-mo-nos fazendo pequenas coisas proibidas!... às vezes éramos descobertas e...havia o caldo entornado! Mas a diversão que isto nos proporcionava, era demais...Tínhamos professoras que sabiam ensinar, mas eram extremamente exigentes a ponto de não nos darem as notas merecidas pelos nossos trabalhos, o que nos revoltava! Íamos a exame e....apareciam as classificações correctas. Ali aprendi o gosto pela nossa língua e a escrever correctamente; com a nossa louca e amada professora Dra. Ema Tarracha Ferreira, autora de vários Livros pelos quais estudávamos. Não dávamos pela aula passar e pedíamos para ficar durante o intervalo na sala para a Dra. acabar a matéria que estava a dar! Tb. com ela aprendi Latim que me serve ainda hoje para me tirar dúvidas quanto à caligrafia de muitas palavras! Aprendi História, mas de que maneira!...sem dar por isso! "comíamos" o que saía da boca daquela professora! Ainda hoje a História Universal, com grande destaque para a Egiptologia e Arqueologia, fazem parte do meu dia-a-dia! E Filosofia???...nem precisei de fazer o Exame de Aptidão à Faculdade. Agora a minha neta quer ir para "o meu Liceu"...tais são as coisas que lhe conto!.......

    ReplyDelete
    Replies
    1. Fica registado o seu testemunho. Obrigado, cumotos

      Delete
  2. Eu também ali fiz a minha época de liceu desde 71 a 78.Tive boas professoras mas infelizmente não me lembro do nome delas. Nem das menos boas. A memória desse tempo está envolta por suave névoa onde só alguns rostos ganham forma. Tempos bons onde só uma amiga ficou... até hoje.

    ReplyDelete
  3. Estive no liceu, desde os meus dez anos até 1974. Vivi o " antes " e um pouco do " depois de 74 ": realidades muito distintas.
    Tenho boas memórias das colegas, professoras, funcionárias, do ambiente que se vivia no liceu.

    ReplyDelete
  4. Eu só conheçi a realidade do antes do 25 de Abril,entrei em 1951/52 e andei lá 5 anos!
    Sempre numa Turma D.
    Fiquei conhecida dentre as minhas Colegas por "a Piriquita" porque era a mais baixinha e sempre a primeira da forma!
    Tenho hoje , daqui a alguns dias, 83 anos!
    O tempo de Liceu deixou me muito boas recordações!
    Das nossas professoras, de algumas colegas de quem fiquei Amiga, das nossas travessuras , do jogo do berlinde, dos passeios de estudo!
    Gostava muito de reencontrar algumas Colegas desse tempo!

    ReplyDelete
  5. O meu nome é Maria Tereza Saldanha

    ReplyDelete
  6. Ana Maria Leite de Magalhães7 March 2021 at 03:57

    Eu estive no Maria Amália nos anos 66 /67/68/69 depois passando para o Liceu Nacional de Oeiras ! Do Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho só tenho boas recordações!Tive a Português a Dra Teresa Leitão de Barros que era extremamente exigente e raramente dava uma nota acima de 12 que daria a muito custo ! As negativas eram escritas a vermelho do tamanho da folha e as positivas eram escritas a tinta azul e minúsculas !O que é certo é que ela deu-me boas bases da língua portuguesa!Participei em aulas incríveis de basquetebol!No meu tempo só podiam frequentar meninas e os rapazes estavam proibidos de se aproximarem do Liceu.Fiz parte do teatro, da festa de despedida da Reitora , cujo nome só me lembro Prestelo ! Cantei a solo para ela ! E ainda hoje me lembro da canção....Queria dizer aqui tambem das magníficas aulas de Ciências e seu laboratório aonde dissequei uma rã,em que descobri um tumor no fígado para espanto de todas nós incluindo a professora!Talvez por isso tenha seguido ciências com tanto gosto! Gostaria ter sido cirurgiã mas acabei por ser Fisioterapeuta por sugestão do meu Pai...

    ReplyDelete

Web Analytics