sexta-feira, 22 de julho de 2016

Pastelaria Mexicana

Estabelecimento comercial, em estilo modernista, inaugurado em 1946, ocupando quatro pisos de um prédio dos anos 40, com o rés-do-chão e a primeira cave destinados ao serviço do público, o estabelecimento prolonga-se para a rua, em esplanada coberta por pala de betão com letreiro luminoso. Foi objecto de total remodelação, em 1961/62, segundo projecto do arq.º Jorge Ribeiro Ferreira Chaves, de forma a modernizar quer o espaço quer o mobiliário nele existente. A tabacaria, junto à entrada, foi construída na década de 70, com risco do mesmo autor.

Pastelaria Mexicana [c. 1977]
Avenida Guerra Junqueiro, 30 C
Vasques, in AML

No interior, merecem destaque os revestimentos cerâmicos, nomeadamente o painel de azulejos «Sol Mexicano», de Querubim Lapa, assim como a pintura mural «Sol»,da autoria de Mirya Toivolla e João Câmara Leme.
Foi local de encontro de vários artistas ligados ao Surrealismo e ao Neo-realismo, bem como de arquitectos da geração que fixou o Movimento Moderno em Portugal e serviu de cenário a alguns filmes portugueses, nomeadamente, «Corte de Cabelo», de Joaquim Sapinho (1995).
Classificada como monumento de interesse público desde Março de 2014. A classificação abrange o “património integrado” da pastelaria, em especial o painel cerâmico Sol Mexicano, de Querubim Lapa, a cabine telefónica interior e o “passarinhário”, uma espécie de gaiola de vidro com aves no seu interior.[cm-lisboa.pt]

Pastelaria Mexicana
Sol Mexicano, de Querubim Lapa
Fotografia anónima

1 comentário:

Web Analytics