Thursday, 5 May 2016

Passeio pedonal dos Arcos no Aqueduto das Águas Livres

O Aqueduto, construído entre 1731 e 1799, por determinação régia, desenvolve-se ao longo de 14.100 metros de comprimento com início nas nascentes localizadas no Vale de Carenque, até ao reservatório da Mãe de Água em Lisboa. No entanto, em toda a sua extensão, o aqueduto das águas livres tem 58.135 metros, incluindo nascentes, ramais e galerias subterrâneas. O seu nome deve-se ao facto de as águas correrem apenas pela força da gravidade, isto é, livremente.
Ao chegar a Lisboa, o aqueduto tem, no Vale de Alcântara, dois passeios pedonais de 941 metros, sobre 35 arcos, 14 em ogiva e os restantes de volta perfeita, «contendo o maior arco de pedra do mundo, com 65 metros de altura e 28 de largura».
Estes arcos resistiram ao terramoto de 1755, porque, segundo vários especialistas, as suas fundações estão assentes em dois maciços rochosos do Cretáceo Superior. Outras opiniões defendem que a resistência se deveu ao ângulo formado pelos arcos, que lhe terá permitido a mobilidade suficiente.

Passeio pedonal dos Arcos no Aqueduto das Águas Livres [c. 1912]
Vale de Alcântara, Campolide
Paulo Guedes, in AML
 
O Aqueduto das Águas Livres - projectado por Manuel da Maia - é um dos maiores «ex-libris» da cidade de Lisboa - reabriu em Março de 2014 ao público. Já pode visitá-lo entre Sábado e Terça-Feira, entre as 10h e as 17h30, até Novembro, segundo informação da EPAL.
 

1 comment:

  1. Pois tenho a ideia de, entre 1935-41, ter andado por uma das secções do Aqueduto das Águas Livres!

    ReplyDelete

Web Analytics