Wednesday, 12 September 2018

Chiado: antigo Convento do Espírito Santo da Pedreira

Na confluência das Ruas do Carmo e Nova do Almada — diz Norberto de Araújo — e em prolongamento para qualquer dos lados  — , com a entrada principal no tôpo do fundo da Rua Garrett, levanta-se o edifício dos Grandes Armazéns do Chiado [1894], que dominam o local.

Alçado do Convento e Igreja do Espírito Santo na calçada do Carmo, topo da rua direita das portas de Santa Catarina (hoje Rua Garrett), e Rua Nova de Almada, da travessa de Santa Justa, até à travessa (hoje Rua) de S. Nicolau

Assentava aqui, antes do Terramoto, o amplo Convento do Espírito Santo da Pedreira, dos frades da Congregação do Oratório de S. Felipe Nery, fundado no final do século XIII, e reedificado entre 1514 e 1516. O Terramoto destruiu o Convento e Igreja, que foram reedificados, sem a antiga grandeza. Em 1835, depois da extinção das Ordens, os religiosos, que foram tolerados por algum tempo, acabaram por ser expulsos da sua casa. O edifício foi então comprado por Manuel José de Oliveira, 1.° Barão de Barcelinhos (1841), individuo que, pela sua fortuna, granjeara o apodo de «Manuel dos Contos»; pelo segundo casamento da viúva o prédio e o título passaram para Manuel Correia da Silva Araújo, e, morrendo êste, novamente a viúva casou com o Dr. Carlos Ramiro Coutinho, que foi 3.º Barão de Barcelinhos e 3.º Conde de Ouguella. (A Baronesa, de apelido Soares de Oliveira, ainda sobreviveu ao terceiro marido). O título de visconde de Barcelinhos continuou-se do primogénito do Barão, e depois perdeu-se.

Convento do Espírito Santo da Pedreira
Legenda da gravura: Perspectiva conjectural do território da Pedreira nos finais do século XIII. Vê-se no primeiro plano, ao centro, o Convento do Espírito Santo da Pedreira (mais tarde, Palácio dos Barcelinhos / Grandes Armazéns do Chiado); em frente, em direcção ao Poente, a estrada de Santos (a Rua Garrett de hoje); à esquerda o Convento de São Francisco e os Mártires; mais ao longe o paço que foi dos Condes de Ourém; à direita o Estudo Geral (liceu); ao fundo, à esquerda o Convento da Trindade
Desenho: Alberto de Sousa, 1880-1961, pintor, in AML

No local existiu desde 1279, uma antiga Casa chamada de Espírito Santo da Pedreira, irmandade de nobres e mercadores ricos de origem judaica, que promoviam a associação e a entreajuda financeira. O culto do Espírito Santo vem da rainha Isabel, mulher de D. Dinis, no primeiro templo da Pedreira. Pedreira, porque no local se encontrava a grande rocha que caía sobre o vale a que hoje se chama Baixa, e por onde o rio não entrava. A casa, o hospital da irmandade e o respectivo espaço conventual situavam-se na confluência da que é hoje a Rua Garrett com a Rua Nova do Almada, e sofreram durante o século XVII várias obras de reconstrução. 

Grandes Armazéns do Chiado [1910]
Rua do Carmo, Rua Nova do Almada (perspectiva tirada da Rua Garrett)
Antigo  Palácio Barcelinhos e antes  Convento do Espírito Santo da Pedreira
Joshua Benoliel, in AML

Bibliografia
ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. XII, p. 89, 1939.
VALDEMAR, António, Chiado O Peso da Memória, p. 104 , 1989.

COSTA, Mário, O Chiado pitoresco e elegante, p. 22-1130, 1987.

1 comment:

  1. Estou impressionado, tenho que admitir. Raramente eu encontro um blog que é igualmente educativo e divertido.
    Américo Rosas

    ReplyDelete

Web Analytics