Sunday, 5 March 2017

Quiosque do Jardim de S. Pedro de Alcântara

Se quisermos compreender facilmente o seu nascimento, teremos de analisar primeiro a proveniência do termo quiosque. Originado do francês kiosque, derivou por sua vez do turco kiouchk, que quer significar "nádegas", talvez pela posição que as pessoas adquirem em redor dele. É provalvelmente por isso que, em gíria, quando pretendemos que alguém se afaste de nós, ainda ouvimos dizer: "chega-me para lá esse quiosque!”.

As causas reais que levaram à demolição de muitos dos Quiosques que existiram em Lisboa são praticamente desconhecidas. Ou porque o seu estado de degradação a isso obrigasse sem que, no entanto, "merecessem" restauração, ou porque a modificação do traçado das ruas e avenidas e os melhoramentos dos passeios o tornasse imprescindível, o certo é que eles lá foram desaparecendo. E foram 45.

Quiosque do Jardim de S. Pedro de Alcântara [1908]
[Situava-se em frente ao Convento de S. Pedro de Alcântara]
Joshua Benoliel, in AML

Estrutura - Base de alvenaria, de secção hexagonal. Balcão de pedra, com corpo de madeira e com janelas de todos os lados. Cúpula hexagonal aos gomos, com toldo muito largo suportado por ferros, para esplanada, de bordos muito trabalhados e mísulas de ferro artisticamente decoradas.
Particularidades - Particular. Muito concorrido. Por cima de uma das janelas pode ler-se: «Pavillon Royal».

Bibliografia
(CAEIRO, Baltazar Mexia de Matos, Os quiosques de Lisboa, , p. 41, 1987)

2 comments:

  1. This page definitely has all of the information and facts I wanted concerning this
    subject and didn't know who to ask.

    ReplyDelete
  2. Wow, fantastic blog layout! How long have you been blogging for?

    you made blogging look easy. The overall
    look of your site is excellent, let alone the content!

    ReplyDelete

Web Analytics