segunda-feira, 13 de junho de 2016

Festas dos Santos Populares: os tronos de Santo António

Nasceu no Terramoto de 1755 a tradição lisboeta de confeccionar altares domésticos em honra de Santo António, em Junho, por altura da sua festa. Os tronos homenageiam este Santo douto e bom, nascido no coração de Lisboa, e invocam as suas graças de patrono casamenteiro e advogado das causas perdidas.

Largo das Portas do Sol [1948]
Festas de Santo António, crianças preparam o trono e o peditório
Firmino Marques da Costa, in AML

Os primeiros tronos surgiram no século XVIII, como forma de pedir esmolas para a reconstrução da igreja de Santo António, parcialmente destruída durante o grande terramoto de 1755. O escritor inglês William Beckford refere esta tradição no relato das suas viagens por Portugal.O autor refere, que pelo mês de Junho, Lisboa se enchia de pequenos altares, construídos à porta das casas.

Bairro da Bica [1909]
Festas de Santo António, crianças preparam o trono e o peditório
Joshua Benoliel, in AML

Ao longo dos séculos, foram construídos vários edifícios para marcar o local onde terá nascido Santo António. Acredita-se que, no século XV, já existisse no local uma simples ermida. No mesmo século, D. João II mandou erigir uma igreja, que só viria a ficar pronta durante o reinado de D. Manuel I. 

Rua do Paraíso [1954]
Tronos de Santo António
Armando Serôdio, in AML

Esta, porém, foi parcialmente destruída durante o terramoto de 1755. Do edifício original, apenas sobreviveu a cripta, debaixo da qual, segundo a tradição, ficam os escombros da casa dos pais de Santo António. As obras de reconstrução, financiadas em parte pelas esmolas recolhidas pelos habitantes, tiveram início em 1767. Estas só viriam a terminar 20 anos depois. A igreja de Santo António foi oficialmente aberta ao culto em 1787.

Rua do Paraíso [1954]
Tronos de Santo António
Armando Serôdio, in AML

Estrada dos Prazeres [1954]
Tronos de Santo António
Armando Serôdio, in AML
Rua da Adiça [1954]
Tronos de Santo António
Armando Serôdio, in AML

Beco da Cardosa [1954]
Tronos de Santo António
Armando Serôdio, in AML

3 comentários:

  1. Amo esta página e tudo que nela contèm . Abraço

    ResponderEliminar
  2. Adorei, adorei...pois sou devota de Santo António o meu protector!
    Parabéns por nos mostrar e informnar.

    ResponderEliminar

Web Analytics