Wednesday, 6 March 2019

Igreja de Santa Cruz do Castelo

A igreja de. Santa Cruz do Castelo nada tem em arquitectura que a torne notável. Situa-se no Largo do mesmo nome, com a fachada para o Poente. A capela-mor encosta-se à muralha do Castelo, servindo uma das torres da cerca de base à torre sineira.


A Igreja de Santa Cruz do Castelo é uma reconstrução ao século XVIII, após o Terramoto. A primitiva igreja denominava-se de Santa Cruz de Alcáçova, e segundo tradição verosímil foi fundada por D. Afonso Henriques depois da conquista de Lisboa, em 1147, e instalada no local onde existia uma mesquita moura, certamente transformada em templo cristão. A igreja já aparece citada numa escritura de Maio de 1168, o que não implica que não tivesse existido antes. 
A denominação de Santa Cruz do Castelo é ainda do tempo do primeiro Rei, embora as «Inquirições» de 1248 e 1279 a designem ainda por Santa Cruz da Alcáçova; ela teria de seu começo, invariavelmente, as duas denominações.

Fotografia aérea da zona da Costa do Castelo e do Castelo de São Jorge antes das obras de remodelação, vendo-se ao centro, a Igreja de Santa Cruz do Castelo [1938] 
Pinheiro Correia, in A.M.L.

A igreja recebeu sem dúvida transformações, ampliações e restauros no decorrer dos séculos, mormente no século XVI, depois do sismo de 1681. No segundo quartel do século XVII a igreja tinha, segundo Coelho Gasco, uma porta principal e outra travessa, esta sobre um adro muito grande, mas no final desse século, segundo Carvalho da Costa, já existiam três portas, a principal voltada ao Sul e as outras a Poente e a Nascente (resultado das obras anteriores a 1699?) e o corpo da igreja ostentava três naves. Seis anos antes do cataclismo foi sujeita a novos restauros. 
O Terramoto arruinou muito a igreja, que teve de ser reconstruida sob diversa traça, come­çando as obras em 1776 — data inscrita na actual porta principal — mas não se encontrando concluídas em 1783, pois nesse ano as paredes estavam levantadas só até à cimalha e apenas a capela-mor já coberta. 
A paróquia, que data da fundação da igreja, abrangia e abrange o recinto murado do bairro do Castelo. 

Igreja de Santa Cruz do Castelo, fachada e torre sineira [c. 1900]
Largo de Santa Cruz do Castelo
 Foi nesta igreja que tradicionalmente se baptizaram os filhos dos monarcas que habitavam o antigo
Paço da Alcáçova, no castelo de São Jorge.
Alberto Carlos Lima, in A.M.L.

Na igreja estão expostas numerosas telas representando Santos e vários Cartu­xos, todas dos séculos·XVII e XVIII, de me­diana pintura e cuja proveniência se ignora. As duas imagens de maior valia são as de S. Jorge, que figurava na tradicional pro­cissão, e o Crucifixo do altar-mor, venerado,segundo a tradição, na capela real do paçoda Alcáçova e que, conforme a tradição tam­bém, dirigia a palavra à rainha Santa Isa­bel.

Igreja de Santa Cruz do Castelo, interior: nave e capela-mor [c. 1945]
Largo de Santa Cruz do Castelo
 O retábulo de tábua existente no Altar-Mor, proveniente da desaparecida Ermida do Espírito Santo, é do séc. XVII, tem feição maneirista, sofreu acrescento para cobrir as dimensões do retábulo, representa a "Descida da Cruz" sendo de autoria desconhecida.
Fernando Martinez Pozal, in A.M.L.

N.B. A primeira irmandade de S. Jorge foi fun­dada, diz-se, pelos Ingleses, na igreja dos Már­tires, no meado do século XII, trasladando-se depois para S. Domingos (1241) e. fundado o Hospital real de Todos os Santos, para ele (final do século XV). Fixou-se em Santa Cruz depois do Terramoto. A procissão do Corpo de Deus, onde a representação de S. Jorge tinha o papel principal, vem do reinado de D. Afonso III. Teve duas épocas de renome: o século XV, pelo pito­resco, o reinado de D. João V pelo fausto.

Igreja de Santa Cruz do Castelo [ant. 1955]
Largo de Santa Cruz do Castelo
 Capela de S. Jorge e da Senhora do Rosário

_________________
Bibliografia
ARAÚJO, Norberto de, Inventário de Lisboa, 1955.

1 comment:

  1. Thanks for finally talking about >"Igreja de Santa Cruz do Castelo" <Loved it!

    ReplyDelete

Web Analytics