Wednesday, 3 October 2018

Jardim Constantino

Ao cimo da bela Rua Passos Manuel está o Jardim Constantino«o Rossio da Estefânia do fim do século XIX», assim apelidado por Norberto de Araújo — , pequeno mas esmeradamente cultivado. Tem bancos de madeira e em noites estivais enche-se de famílias que por ali perto habitam. Não tem grades que o furtem ao trânsito.

Jardim Constantino [1959]
Biblioteca Municipal ao ar livre
Ruas Passos Manuel, José Estêvão, Pascoal de Melo e Rua Mindelo

Armando Serôdio, in A.M.L.

Deu o nome ao jardim o famoso floricultor municipalista, José Marques de Sampaio e Melo Constantino, classificado o «Rei dos Floristas». Segundo Mário Costa no seu Chiado Pitoresco e elegante obteve aquele título em Paris. As suas prodigiosas flores, tão finamente imitadas do natural — recorda-nos o autor — , vinham de longe para decorar as principais montras do Chiado. Tornaram-se moda as «flores constantinas». E, por duas vezes, o seu autor as enviou expressamente para Portugal, num honroso destino, oferecidas às rainhas D. Estefânia e D. Maria Pia, figurando nas cerimónias dos seus casamentos.

Jardim Constantino [1939]
Ruas Passos Manuel, José Estêvão, Pascoal de Melo e Rua Mindelo
A poente, pode observar-se a estátua em pedra de Prometeu da autoria de
Francisco dos Santos
Eduardo Portugal, in A.M.L.

O jardim, meramente decorativo, ostenta desde 1925, ao centro, uma admirável escultura [Prometeu] de Francisco dos Santos. Fica situado entre as Ruas Passos Manuel, José Estêvão, Pascoai de Melo e Alexandre Braga Rua Mindelo. As edificações deste Largo ou Praça são recentes, pois datam do último quartel do século passado [XIX].

O património vegetal inclui uma árvore única na cidade, a melaleuca styphelioides, vulgo árvore-papel, classificada como de Interesse Público em 1996 e uma figueira-australiana, classificada em 1947.

Jardim Constantino [1968]
Ruas Passos Manuel, José Estêvão, Pascoal de Melo e Rua Mindelo

No canto sudoeste ergue-se o antigo quiosque municipal, actualmente servindo de urinol Apresenta seis painéis de azulejos, alguns deteriorados, representando, uns, cenas alusivas à beleza feminina. Desconhece-se o seu autor.
Artur Inácio Bastos, in A.M.L.

Bibliografia
VIDAL, Angelina, Lisboa antiga e Lisboa moderna, 1994.
COSTA, Mário, O Chiado pitoresco e elegante, 1987.
ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. IV, 1938.

3 comments:

  1. Jardim Constantino, o jardim da minha meninice.
    Com 12/13 anos jogávamos lá à bola, com uma pequena bola de borracha. O 'Molicas' era o nosso Garrincha que fazia parar toda a gente a vê-lo fintar.
    Mas, por incrível que agora pareça, era proibido jogar à bola na via pública e várias vezes fomos presos para a Esquadra de Arroios.
    Tempos aqueles que crianças eram presas por jogar à bola.
    Valdemar Silva

    ReplyDelete
  2. Passei a minha juventude no jardim Constantino antes de ir para a tropa

    ReplyDelete
  3. Também da minha infância! Adorava

    ReplyDelete

Web Analytics