Sunday, 16 December 2018

Monumento a Rosa Araújo

Na esquina do quarteirão onde está. a Sociedade de Belas Artes, enfrentando as Ruas Rosa Araújo e Mousinho da Silveira, foi colocado em [25 de Outubro] de 1936 um monumento, bem modesto por tal sinal, e ridiculamente situado, a José Gregório de Rosa Araújo, o criador da Avenida da Liberdade. O busto é em bronze (Costa Mota, sobrinho); sôbre o soco, em pedestal, avulta em tamanho natural a figura de Lisboa coroada.

É tudo, Dilecto, quanto Rosa Araújo mereceu da edilidade!


Monumento a Rosa Araújo [1936]
Esquina das Ruas Rosa Araújo e Mouzinho da Silveira
Eduardo Portugal, in AML

A grande audácia da época — a abertura da Avenida da Liberdadeficou a dever-se ao génio perseverante e audaz de Rosa Araújo, o «Barão Haussmann Português», tendo a seu lado o engenheiro Miguel Pais.
Esse notável rasgo, partindo de 1879, com a demolição da Travessa do Salitre — e com ela a de um grande prédio onde estava a Fotografia Rocha, que, pelo seu elevado custo, tantos engulhos causou a Rosa Araújo — teve a sua culminância em 1882 quando aquele benemérito, enérgica e decididamente, lutando contra a opinião de grande parte da gente alfacinha — o próprio Júlio de Castilho o lamentou — resolveu mandar derrubar as grades que vedavam as entradas do Passeio Público. Foi esse acto inesquecível que permitiu ser a cidade dotada com a mais linda avenida que possuímos.
José Gregório da Rosa Araújo, filho do velho confeiteiro da Rua de S. Nicolau — o Có-có, fartamente caricaturado mas que não conseguiram ridicularizar, chegou a ocupar o alto cargo de Presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Herdou de seu pai a honra, o título e a fortuna e pôs esta, bastas vezes, ao serviço da causa e da filantropia, morrendo pobre. O importe das primeiras obras, no valor de 22 contos, foi adiantado do seu bolso.
A Avenida da Liberdade — a que Rosa Araújo idealizou e em cuja obra pôs toda a esperança e paixão — viu passar o cortejo fúnebre desse insigne edil, um dos maiores e mais dedicados servidores da cidade de Lisboa, falecido em 26 de Janeiro de 1893, por entre alas compactas de povo, com os candeeiros acesos e envoltos em crepes.

Colocação do Monumento a Rosa Araújo [1945]
Avenida da Liberdade
Judah Benoliel, in AML

Finalmente, em Outubro de 1945, o busto de Rosa Araújo (1840-1893) foi colocado na Avenida da Liberdade, em frente da rua com o nome do antigo presidente do Município da capital.

___________________
Bibliografia
ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. XIV, p. 41, 1939.
COSTA, Mário, Feiras e outros divertimentos populares de Lisboa, 1960.

1 comment:

  1. "Sou obrigado" a curvar-me, perante tamanha e elevada grandeza Humana!Bem Haja!

    ReplyDelete

Web Analytics