domingo, 8 de janeiro de 2017

Largo e Chafariz da Princesa

Este topónimo «da Princesa» tem origem na antiga Quinta da Princesa que existiu no local. Esta quinta era propriedade da Infanta D. Maria Francisca Benedita (1746-1829), irmã da Rainha D. Maria I e princesa do Brasil, pelo seu casamento com o Prínipe D. José, seu sobrinho. Fundou em Runa o Asilo dos Inválidos Militares.

Largo da Princesa [c. 1940]
Chafariz da Princesa

Eduardo Portugal, in AML

A 17 Janeiro de 1850 na sequência de um aviso do marquês de Fronteira, então Governador Civil, sobre a necessidade de se procederem a limpezas no sítio de Pedrouços devido a um surto epidémico, a Câmara de Lisboa ordenou não só as necessárias limpezas mas também a construção de um chafariz, pela necessidade de água potável no local.
Surge assim o Chafariz da Princesa, implantado no centro do Largo da Princesa, nome que se refere à princesa D. Maria Francisca Benedita que possuiu no local uma quinta. O Chafariz foi construído sob responsabilidade camarária com pedraria oferecida pela rainha D. Maria II, a qual era a proprietária do Casal de Paio Calvo onde se localizava a mina que o abastecia.
O projecto deve-se ao arquitecto da Câmara, Malaquias Ferreira Leal, com a colaboração do Mestre Geral das Águas Livres, José Félix da Costa. É inaugurado a 19 de Junho de 1851.

Chafariz da Princesa [s.d.]
Largo da Princesa

Eduardo Portugal?, in AML


Bibliografia
(CORREA DA SILVA, Isabel, SEIXAS, Miguel Metelo de, Belém,  ed. Junta de Freguesia de Sta. Maria de Belém, 2000)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics