Sunday, 11 September 2022

Rua da Cruz dos Poiais

E, já interessada pelo roteiro da cidade, D. Maria Inácia comentou: — Afinal nesta Rua da Cruz dos Poiais não há poiais nem cruzes!
 — A Cruz dos Poiais rememora uma das muitas cruzes demarcatórias que havia pela cidade  — a cruz da Esperança — , onde as vereações aguardavam as noivas dos Reis de Portugal para a simbólica entrega das chaves da cidade, com cerimonial às vezes retumbantemente aparatoso, como quando da recepção de D. Maria Ana de Áustria, mulher de D. João V. Lindos costumes que já lá vão!¹

Chamava-se, em 1590, Rua da Cruz dos Cardais, denominação que se reeditou em 1659, pelo menos Em 1615 — recorda o insigne olisipógrafo Matos Sequeira — , passa a ser nomeada por Rua da Cruz de Jesus; em 1632, por Rua Fresca, englobando a actual Rua de Caetano Palha, e, em 1656, por Rua Larga de Jesus. O actual nome fixou-se no inicio do século XVIII.

Rua da Cruz dos Poiais com a Rua Eduardo Coelho |1908-05|
Antiga Rua da Cruz, antes Rua dos Cardeais
Machado & Souza, in AML
Rua da Cruz dos Poiais |1908-05|
Antiga Rua da Cruz, antes Rua dos Cardeais
Machado & Souza, in AML

Em 1633, desembocavam já, como hoje, neste arruamento, três serventias, do lado do nascente. Eram elas a primeira travessa da rua da Cruz, hoje beco da Cruz; a segunda travessa, que é o actual beco da Rosa, e a terceira travessa, que é a que hoje se chama da Peixeira. Seguia-se a rua da Arrochela, já por tal nome conhecida em 1628. O beco da Rosa era a antiga rua ou travessa do Fundidor.
Em 1646, vejo registada, nos assentos de óbito, a seguinte indicação: Rua de São Bento junto à rua do Fundidor. Em 1650 tinha apenas três fogos.

Rua da Cruz dos Poiais |1908-05|
Antiga Rua da Cruz, antes Rua dos Cardeais
Junto ao Palácio Alcáçovas (à dir. na 1ª imagem); ao fundo (à esq. na 2ª imagem) nota-se o Palácio dos Mendias sito entre a Travessa da Arrochela e Rua das Parreiras.
Machado & Souza, in AML



Rua da Cruz dos Poiais |1908-05|
Esquina com a Rua dos Poiais de São Bento
Machado & Souza, in AML




Rua da Cruz dos Poiais |1908-05|
Junto à Rua Pedro Dias
Machado & Souza, in AML



N.B. A origem do termo Poial, deve filiar-se em Podium que, na baixa latinidade, significava o monte, outeiro ou colina mais alta e acuminada. Estes Poiais serviam, identicamente, para ponto de referência de outras serventias, que se designavam nos Poiais, aos Poiais e ainda que vai para os Poiais, remontando tal sinonímia local a 1570.

Rua da Cruz dos Poiais com a  Rua das Parreiras |1908-05|
Antiga Rua da Cruz, antes Rua dos Cardeais
Machado & Souza, in AML
Rua da Cruz dos Poiais com a  Rua das Parreiras |1908-05|
Antiga Rua da Cruz, antes Rua dos Cardeais
Fachada nobre do solarengo e setecentista Palácio Mendia sito entre a Travessa da Arrochela e Rua das Parreiras
Machado & Souza, in AML

Bibliografia
¹ LEITÃO, Joaquim, Corações partidos: contos, 1947.
² SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Depois do terramoto: subsídios para a história dos bairros ocidentais de Lisboa, Volume 2, pp. 43-44, 1967.

3 comments:

  1. É preciso de esforço e muito empenho. Bom trabalho!

    ReplyDelete
  2. A esquina na primeira foto não é com a Rua da Academia das Ciências?
    Sempre um prazer, ler este blog. Belo testemunho do seu amor a Lisboa. Bem haja.
    Claudia Wermelinger

    ReplyDelete
    Replies
    1. Aquele pequeno troço está a atribuído a Eduardo Coelho. Grato pelo apreço.

      Delete

Web Analytics