Sunday, 1 March 2020

Profissões de Antanho: o vendedor de morangos

Os morangos são de Sintra! Olha o cabaz de morangos!
Era dos pregões mais cantados por esta Lisboa. Os próprios saloios os vinham vender, de rua em rua, o barrete enfiado até aos olhos, confundindo-se as negras sobrancelhas com o felpudo debruado do carapuço. 
Vestiam largos bibes de riscado abotoados à frente e, para não lhes tolher o andar, juntavam as pontas num nó sobre a barriga.

Vendedor ambulante de morangos [1960]
Alameda Dom Afonso Henriques  junto à Avenida Almirante Reis
Nota(s)Local da foto não está identificado no A.M.L.
Arnaldo Madureira, in AML

Claro que havia de se ter cautela com a quantidade de morangos que vendiam, pois os acomodavam ardilosamente em cabazes pequenos, tão cheios de fetos como de frutos, e não pesavam os morangos!
Quando se dava pelo logro, era tarde! Saloios espertos! Também os morangos nem sempre eram provenientes da região de Sintra, mas era de bom-tom e crédito apregoar:
— Olha os morangos! São de Sintra!
É o caso das laranjas sempre apregoadas como de Setúbal, quando os laranjais se alastram por todo o País.
__________________
Bibliografia
CALDERON, Dinis, Tipos e factos da Lisboa do meu tempo: 1900-1974, p. 230, 1986.

No comments:

Post a Comment

Web Analytics