Sunday, 29 October 2017

Festas de Aviação no Hipódromo de Belém

Em 1833, Belém integra-se na cidade como freguesia autónoma. Na segunda metade do século XIX com o início da revolução industrial e a fixação de unidades industriais em toda a zona ribeirinha de Alcântara a Pedrouços, surgem em Belém as fábricas de velas e sabão, de curtumes e de cordoaria, de estamparia e tinturaria, de fiação e tecidos, de produtos alimentares e de produtos farmacêuticos e, desde 1891, uma fábrica de gás localizada junto ao Baluarte de São Vicente, vulgo Torre de Belém.


Estamos em Outubro de 1909. No hipódromo, já há alguns anos desactivado das suas funções e, agora, «mais ou menos convenientemente adaptado» a campo de aviação, um importante acontecimento acaba de ocorrer: «Lisboa teve finalmente ocasião de assistir já a uma experiência de aviação», cujo resultado não foi, porém, «completamente satisfatório, em consequencia do desastre que a interrompeu (...): quando o aviador sr. Armand Zipfel tentou fazer uma viragem, o apparelho caiu bruscamente e sofreu com a queda alguns prejuizos materiaes [vd. 3ª imagem]» ¹

Hipódromo de Belém [1910]
O Blériot monoplano de Julien Mamet sobe 120 metros acima do então descampado de Belém, paira sobre o Tejo e regressa em perfeita aterragem; ao fundo vêem-se os gasómetros da Fábrica de Gás de Belém
Fotógrafo não identificado, in Arquivo Municipal Lisboa

A Illustração Portuguesa e o seu repórter fotográfico Joshua Benoliel estavam lá, deixando-nos o registo destes dois importantes acontecimentos. Nestes terrenos do hipódromo — cujo início data de 1874, tendo-se realizado as últimas corridas em 1893 — efectuavam-se, para além das corridas de cavalos e das demonstrações aeronáuticas, toda uma série de eventos de carácter social, entre os quais as paradas e os exercícios militares.
No ano seguinte, a 27 de Abril, o piloto Mamet realizava então a proeza, descolando-se do hipódromo de Belém, sobrevoando o Tejo e regressando novamente ao hipódromo [vd. 2ª imagem].

Hipódromo de Belém [1910]
O Blériot monoplano de  Julien Mamet sobe 120 metros acima do então descampado de Belém, o que deixa Lisboa atónita
Fotografia anónima

É, pois, Julien Mamet, que em Maio de 1910, demonstra a 10.000 cidadãos o «voo do mais pesado do que o ar».  Com um Blériot monoplano, sobe 120 metros acima do então descampado de Belém, paira sobre o Tejo e regressa em perfeita aterragem [vd. 2ª imagem]. O avião fica exposto numa garagem de Lisboa perante  um publico «embasbacado», segundo relatos da época.
Nos finais do ano de 1909 surgia o Aero Club Português e daí a pouco mais de dez anos «já estavam portugueses a voar e a preparar-se para a conquista das grandes distâncias do mundo», com os voos transatlânticos dos históricos Gago Coutinho e Sacadura Cabral, nos anos 20 do século passado.

Hipódromo de Belém [1909]
O biplano Voisin-Antoinette de 40 CV pilotado pelo aviador Zipfel eleva-se 8 metros ao longo de 180 metros antes de se despenhar; em último plano vislumbra-se a  Ermida de São Jerónimo
Joshua Benoliel, in Arquivo Municipal Lisboa

Biblioggrafia
¹ llustração Portugueza de 25 de Outubro de 1909.

3 comments:

  1. This article gives clear idea for the new viewers of blogging,
    that genuinely how to do running a blog.

    ReplyDelete
  2. It’s really a nice as well as beneficial piece of info. I’m glad that you just shared this very helpful info with us.
    Please keep us up to date. Many thanks for sharing.

    ReplyDelete
  3. I desired to thank you a lot more for this remarkable website you have created here.
    It is really is loaded with beneficial tips for all those who are truly interested in this subject, specifically this very post.

    ReplyDelete

Web Analytics