Sunday, 24 September 2017

Edifício da Casa dos Açores

Em Vias de Classificação, esta obra do arq. Miguel José Nogueira Júnior, datada de 1921, foi construída num estreito lote triangular, de gaveto, onde o acentuado desnível do terreno condicionou todo o projecto. Desenvolvido em quatro pisos com a cobertura utilizável em terraço (das primeiras a ser construída na cidade), este edifício constitui um exemplar de arquitectura civil residencial ecléctica, assim como referência importante na introdução da modernidade em Portugal, pela concretização de um projecto onde a ausência de ornamento é sabiamente compensada através do jogo de luz e sombra proporcionado pela modelação das massas e volumes. 

Edifício da Casa dos Açores [1968]
Rua dos Navegantes, 17-21; Travessa do Combro
João Goulart, in AML 

Por sua vez, as curvas suaves, mas maciças, dos volumes, remetem para os valores formais de uma Arte Nova tardia, onde pontuam das experiências da “casa portuguesa” à tradição “Beaux Arts”. Concebido originalmente como habitação unifamiliar, este imóvel viu, em 1983, o seu piso térreo ser individualizado e transformado em agência do Banco Comercial dos Açores, segundo projecto do arq. Manuel Rocha de Carvalho, destinando-se os restantes pisos superiores a acolher a Casa dos Açores.

Edifício da Casa dos Açores [1968]
Rua dos Navegantes, 17-21; Travessa do Combro
João Goulart, in AML 

1 comment:

  1. Um edifício que faz parte de toda história dos Açores!!

    ReplyDelete

Web Analytics