sexta-feira, 17 de março de 2017

Avenida Álvares Cabral

«Considerando que foi por esta Camara deliberado construir o mais rapidamente possível a Avenida que vae ligar directamente o Largo do Rato com o da Estrella e que essa Avenida terá a denominação de Pedro Alvares Cabral; Considerando que com essa construcção o Largo do Rato será transformado n'uma das mais  bellas praças de Lisboa.»


Apesar desta decisão da vereação camarária, tomada em 1910, a abertura da actual Avenida Álvares Cabral só se viria a concretizar por volta de 1930. Até esta data, o acesso à Estrela — para aqueles que vinham do Largo do Rato — fazia-se pela Rua de Dom Dinis e pela Travessa das Terras de Santana e Rua de Santa Isabel, desembocando na alameda fronteira ao Liceu Pedro Nunes e à Escola João de Deus.

Avenida Álvares Cabral [1939]
Ao fundo, o Liceu Pedro Nunes (1906) e a Praça da Estrela; à direita, a Rua de Santa Isabel

Eduardo Portugal, in AML

Desviemo-nos agora — sugere Norberto de Araújo —, pela Travessa de Santa Quitéria, cortada há uma dezena de anos [c. 1929/30] no seu troço central para abertura da Avenida Álvares Cabral, até esta nova e desafogada artéria, rasgada em terrenos adquiridos pelo Estado (para o Liceu [Pedro Nunes]) em 1906 e depois em parte cedidos à Câmara Municipal.

Avenida Álvares Cabral [195-]
Junto ao Jarim Cinema

Eduardo Portugal, in AML

Avenida Álvares Cabral [195-]
À direita, a Travessa de Santa Quitéria; ao fundo, o Largo Rato

Eduardo Portugal, in AML

Bibliografia
(TORRES, João Romano, A Revolução Portuguesa, 1911)
(ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. XI, p, 65 [1939])
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics