terça-feira, 11 de outubro de 2016

A corcova da Rua da Madalena

Não. A corcova da Rua da Madalena não foi adquirida com o tempo e portanto não deve ser tomada como uma certidão de idade.   A rua é corcovada desde que nasceu e a sua existência não conta ainda,  relativamente, muitos anos.
   A primeira vez que vemos citar a Rua da Madalena é em 1766. Mas não se pense que eram já muitos os edifícios que a emolduravam. Pelo contrário, eram pouquíssimos, tão poucos que se poderia dizer que era uma rua sem casas. Calcule o leitor que dois anos depois, em Abril de 1768, eram apenas três os prédios que se erguiam na rua! Do lado do nascente dois, os quais tinham sido mandados edificar por João Gonçalves e por D. José de Meneses; do lado do poente um que pertencia à congregação de Nossa Senhora da Doutrina. No entanto, na praça que se abria ao cimo dos dois lanços da rua — praça que se chegou a denominar da Bela Vista — já se tinha erguido um grande edifício, o dos irmãos Caldas, João e Luís, e no qual nesse ano, morava o francês Jacome Ratton, grande industrial e amigo e admirador de Pombal. Tinha ido para ali em 1766.
   1940 — -Tempos que passaram.
(MACEDO, Pastor de, in Olisipo: boletim do Grupo «Amigos de Lisboa», 194, n-º 57, p. 58)

Rua da Madalena (ca. 1910)
Postais de Lisboa, Autor desconhecido

A Rua da Madalena, como o nome indica, advém da proximidade à Igreja de Santa Maria Madalena, que já existia seguramente em 1164, mandada edificar por D. Afonso Henriques junto à Cerca Moura, em terrenos onde existiu um templo romano dedicado a Cibeles, a deusa-mãe.

4 comentários:

  1. Obrigada por estas perolas .Adoro ler tudo quanto publica Lisboa a cidade que eu amo

    ResponderEliminar
  2. Morei nesta rua entre 1940-41, e estudei numa escola primária no largo de Caldas.

    ResponderEliminar
  3. Morei nesta rua entre 1940-41, e frequentei uma escola primária no largo de Caldas, hoje com outro nome.

    ResponderEliminar

Web Analytics