quinta-feira, 28 de julho de 2016

Igreja de Santa Catarina, Convento dos Paulistas

«Pois desçamos, Dilecto, a Calçada do Combro, que foi «do Congro» no século XVII, «do Congo», em alguns documentos, e devia ser, afinal, pela lógica toponímica, do «Cômoro», isto é, do alto.»

(Norberto de Araújo, «Peregrinações em Lisboa», vol. V, p. 29)


Igreja de Santa Catarina e Convento dos Paulistas [1945]
Calçada do Combro
Alvarez, J. C., in AML

Foi em 1646 que os eremitas de São Paulo da Serra de Ossa do Redondo instalaram uma pequena comunidade em Lisboa, na Calçada do Combro. No ano seguinte, fundavam o Convento do Santíssimo Sacramento, e em 1654 iniciaram a obra da igreja; a obra, no entanto, iria arrastar-se pelas décadas seguintes, e a sagração do templo aconteceu apenas em 1680. A obra seria terminada já nos primeiros anos do século XVIII, uma vez que em 1707 se construíram novas celas na ala do dormitório.

Convento dos Paulistas - Vista de norte: corpo da capela-mor da Igreja de Santa Catarina, traseiras , corpo da livraria e da ala conventual  [c. 1940]
Eduardo Portugal, in AML

O Convento dos Paulistas é uma austera construção tardo-maneirista de planta em L, junto à qual se ergue a Igreja de Santa Catarina. As fachadas são ritmadas por janelas idênticas, de verga recta, dispostas a espaços regulares, com janela de sacada em pedra encimada por frontão curvo no corpo principal.
Conserva-se parte do claustro quadrangular com arcada de arcos redondos, um monumental corredor de acesso à zona das celas, o átrio de acesso à igreja vizinha, o espaço da antiga portaria, decorado por azulejos do 1º quartel do século XVIII que se atribuem a António de Oliveira Bernardes e ao mestre P.M.P., uma escadaria de mármore, a magnífica sacristia poligonal com estuques atribuíveis a João Grossi e dois lavabos. Destaca-se ainda o espaço da Biblioteca do Exército, que ocupa a antiga livraria conventual, considerada uma réplica, em escala mais reduzida, da Biblioteca de Mafra. Classificada como Monumento Nacional.

Igreja de Santa Catarina, órgão [s.d.]
Mário Novais, in AML

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics