Friday, 25 March 2016

Semana Santa, Largo do Chiado

Noutros tempo. pela Páscoa, na altura da Semana Santa, era tradição o luto carregado, as pessoas vestiam-se de escuro e com discrição.

Largo do Chiado [1907]
Joshua Benoliel, in AML

«(...) Corrigi então a minha devoção e tornei-a perfeita. Pensando que o bacalhau das sextas-feiras não fosse uma suficiente mortificação, nesses dias, diante da Titi, bebia asceticamente um copo de água e trincava uma côdea de pão.
«(...) na rua feita de sol, pelas sedas das senhoras que subiam para a missa do Loreto, espartilhadas e graves.]
(Eça de Queirós, A Relíquia, 1887)

Largo do Chiado [1907]
Igreja da Encarnação
Joshua Benoliel, in AML

«O Largo das Duas Igrejas, designação municipal desaparecida em 1925, mas que o povo ainda mantém pela força do realismo — a presença dos templos — , foi o lugar da Porta (ou Portas) de Santa Catarina, construída na cerca de D. Fernando, entre 1373 e 1375, cuja demolição estava resolvida em 1702, e se realizava ainda em 1705, prolongando-se a 1707. Trezentos e trinta anos de existência justificam a teimosia do dístico que por aqui correu.»
(Norberto de Araújo, Peregrinações em Lisboa», vol. V, p. 12)


Semana Santa, Largo do Chiado, Ilustração Portuguesa, 8 de Abril de 1907

No comments:

Post a Comment

Web Analytics