segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Terreiro do Paço

«E surgiu então - um Terreiro do Paço novo. Espalmou-se aqui, no chão que fôra o «espalmadeiro» [1] dos séculos XIV e XV - a mão de Pombal. E Eugénio dos Santos delineou a praça nova, ordenada por decreto de 16 de Janeiro de 1758.
A «Black Horse Square» (Praça do Cavalo Preto), como dizem os ingleses, é, talvez, a mais imponente praça pública da Europa.»

Terreiro do Paço [séc XIX] 
A Estátua Equestre de D. José data de 1775 e é da autoria do mestre escultor Joaquim Machado de Castro
Fotógrafo  não identificado, in AML

«Praça principal de Lisboa, sala de visitas da Cidade - de uma nobilíssima magestade à qual não falta harmonia - todos a temos nos olhos» (ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. XII, p. 23)

Terreiro do Paço [séc XIX] 
A Estátua Equestre de D. José data de 1775 e é da autoria do mestre escultor Joaquim Machado de Castro
Fotógrafo  não identificado, in AML
.
A denominação dada à praça foi atribuída pelo Marquês de Pombal que, deste modo, homenageou os comerciantes de Lisboa que, voluntariamente, cederam 4% sobre os direitos alfandegários de todas as mercadorias para a reconstrução da cidade.
No entanto, o povo não aderiu à homenagem, continuando a chamar-lhe Terreiro do Paço. Esta última designação faz referência ao Paço da Ribeira erguido neste sítio por D. Manuel, entre 1500 e 1505.

Terreiro do Paço [séc XIX] 
A Estátua Equestre de D. José data de 1775 e é da autoria do mestre escultor Joaquim Machado de Castro
Fotógrafo  não identificado, in AML


[1] Estaleiro no qual querenavam naus.
(Virar ou pôr de querena (a embarcação), para consertar ou limpar.)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics