Monday, 22 February 2016

Calçada do Combro, vendedor ambulante de esponjas naturais

Este elevador fora projectado em 1882 pelo engenheiro Mesnier du Ponsard com um troço mais longo, mas nunca foi completado, tendo funcionado somente entre o Camões e a Estrela até 1913. Chamado popularmente «maximbombo», acabou por ser substituído pelo carro eléctrico. Os seus carros foram vendidos para barracas de banhos, para barracas de feiras e para casas de guarda no campo.

Calçada do Combro. vendedor ambulante de esponjas naturais [ant. 1913]
Elevador da Estrela-Camões

Fotógrafo não identificado, in AML

No séc. XV, esta artéria (Cç. do Combro) era parte da Estrada de Santos ou da Horta Navia. Gomes de Brito considera que era a calçada da «Bella Vista». De acordo com o olisipógrafo Norberto Araújo teve, além destas, as seguintes designações:
«Pois desçamos, Dilecto, a Calçada do Combro - que foi «do Congro» no século XVIII, «do Congo», em alguns documentos, e devia ser, afinal, pela lógica toponímica, do «Cômoro», isto é: do alto.»

No comments:

Post a Comment

Web Analytics