sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Coreto armado na Rotunda por ocasião da visita de Afonso XII

Os festejos tinham como tema o arraial campestre, criado para mostrar um pouco das tradições rurais portuguesas. Ao longo da Avenida foram montados 8 coretos em madeira com cobertura em palha. Na Rotunda (actual Praça do Marquês de Pombal), foi instalado um coreto elaborado por Rafael Bordalo Pinheiro - que não só orientou a construção como pintou os painéis - e que motivou de alguma controvérsia.

Rotunda (actual Praça do Marquês de Pombal) [1903]
José Artur Bárcia, in AML

«Foi riscado por Rafael Bordalo Pinheiro, sugerindo a sua base uma enorme pandeireta coberta por um chapéu de sol (forrado interiormente de verde) decorado com uma rede de pompons vermelhos e amarelos, flores, festões e encimado por um globo electrificado onde assentava uma estatueta. Na pandeireta, entre os respectivos pratos metálicos, Rafael Bordalo Pinheiro desenhou pares de dançarinos populares, aproveitando para parodiar costumes portugueses e espanhóis. Assim, como habitualmente vinha a fazer noutras decorações suas, reinventou a forma deste efémero móvel urbano e caricaturando-o procurou suscitar o riso
(BRAGA, Pedro Bebiano, Cat. 156: Coreto na visita de Afonso XIII, Rotunda, Lisboa. In Arte Efémera. Catálogo de Exposição do Museu Calouste Gulbenkian,)

Rotunda (actual Praça do Marquês de Pombal) [1903]
José Artur Bárcia, in AML

A  escolha  do  formato  do  coreto  seguiu  a  temática  do  arraial  minhoto,  que  preencheu  a  Avenida  da Liberdade  com  enfeites  de  «estrellas,  pandeiretas  e  cestos  de  variadas  cores,  também  em  papel  de seda, além d’outros balões simples, collocados nos frisos apropriados para esse efeito, em número de200 para cada.»
(RELVAS, Eunice; BRAGA, Pedro Bebiano, Coretos em Lisboa: 1790-1990, p. 74)

Rotunda (actual Praça do Marquês de Pombal) [1903]
José Artur Bárcia, in AML
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics