quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Maternidade Doutor Alfredo da Costa

    No dia 31 de Maio de 1932, é inaugurada a Maternidade de Lisboa sob o nome titular, em justíssima homenagem à vida e à obra de quem por ela primeiro lutara, o Dr. Alfredo da Costa. E no dia 5 de Dezembro de 1932 abre finalmente ao público.
    Entre 6 e 31 de Dezembro de 1932 foram efectuados 96 partos tendo correspondido a 97 nascimentos, o primeiro ocorreu às 23.30 h do dia 8 de Dezembro de 1932. Foi uma rapariga, que nasceu com 2,500 Kg, a quem foi dado o nome de Maria da Conceição. Era o primeiro filho de Flora Martinho, de 19 anos de idade. Mãe e filha tiveram alta no dia 22 de Dezembro.
Em 1906, na qualidade de director da Maternidade de Santa Bárbara, o Professor Alfredo da Costa não se cansava de pedir apoios ao Enfermeiro-Mor dos Hospitais, o médico Curry Cabral, seu amigo e companheiro de consultório.

Maternidade Doutor Alfredo da Costa [1932]
Rua Viriato; Rua Latino Coelho

Estúdio Horácio Novais, in Biblioteca de Arte da F.C.G.
   
Desesperado por não conseguir melhorar as condições indignas em que as grávidas e puérperas viviam na Maternidade, elaborou um exaustivo relatório, onde na sua introdução começava por questionar “Maternidade ou antecâmara de um inferno feminino?”. Entregou este documento ao Conselho da Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, mesmo sabendo-se sujeito à malquerença “de quem de direito”.
   Em 2 de Abril de 1910 falecia o ilustre professor, sem ter visto realizado o sonho que acalentava desde 1898, ano em que assumiu a regência da cadeira de Obstetrícia da Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, para o qual sempre com tanta dedicação e entusiasmo trabalhara. Em 15 de Maio de 1910, amigos e admiradores formam uma comissão de homenagem ao professor Alfredo da Costa, que outra não podia ser do que a efectivação do sonho de toda a sua vida. Após vários reveses, o sonho do professor Alfredo da Costa viria a ser realidade em 5 de Dezembro de 1932.
    A sua concretização, sob o projecto inicial do arqº Ventura Terra, ficou a dever-se ao empenho dos Professor Dr. Augusto Monjardino e Professor Dr. Costa Sacadura que vieram respectivamente a desempenhar as funções de Director e Subdirector da Maternidade.

   Para este terreno foi lançado em 1904 um concurso para a Igreja da Imaculada Conceição, tendo sido ainda lançada a primeira pedra mas com a República nunca chegou a ser construída tendo sido substituída pela Maternidade Alfredo da Costa. 

O Occidente n.º 934 de 10 de Dezembro de 1904
(clicar para ampliar)

   O concurso de 1904, uma consagração do neo-românico como estilo oficial da Igreja, foi ganho com alguma surpresa pelo arquitecto Evaristo Gomes - conferido-lhe um prémio de um conto de réis - em detrimento do projecto classificado em 2º lugar, do arquitecto Álvaro Machado, (que recentemente havia realizado o túmulo dos Viscondes de Valmor) e cujo projecto foi reconhecido como o mais inovador. Em 3º lugar classificou-se o arquitecto Francisco C. Parente

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics