sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Palácio Burnay

 Em meados do século XVIII, o caminho que ligava a Calçada de Santo Amaro e a Calçada da Ajuda, paralelo ao rio, recebe o nome de Junqueira. Recuperava-se assim uma denominação que remonta ao reinado de D. Dinis, quando esta zona dos juncais é legada a D. Urraca Pais, abadessa do mosteiro de Odivelas.

Palácio Burnay, fachada Sul [c. 1870]
António Novaes, in AML

Consta que, a partir de 1701, um descendente da família dos Saldanha, presidente do Senado da Câmara de Lisboa decide aflorar os terrenos, iniciando-se assim um processo de urbanização que, pela localização privilegiada seduz algumas famílias fidalgas que iniciam, na Rua da Junqueira, a construção dos seus palácios de veraneio. Após o terramoto de 1755, a rua afasta-se das águas plácidas da foz do Tejo devido aos aterros que vão permitindo a construção a sul.

Chegada da palmeira ao Palácio do Conde Burnay [c. 1890]
Francesco Rocchini, in AML

« Grandes factos históricos, de exteriorização militar, se desenrolaram na Junqueira no século XVIII; festas, cavalhadas. justas, e até uma célebre tourada que durou três dias (29 a 31 de Março de 1738), quando fêz vinte anos Mariana Vitória, já espôsa do principe herdeiro, futuro Rei D. José. Reinava D. João V; a tourada foi organizada pelo Duque do Cadaval, D. Jaime de Melo, hhavendo-se construido, de propósito, uma deslumbrante praça, já de arena circular.»
(ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. IX, p. 50)

Palácio Burnay, Garden-party [1907]
Fotógrafo não identificado, in AML

Mandado edificar no séc. XVIII por D. César de Meneses, principal da Sé de Lisboa, sendo por isso também conhecido por Palácio dos Patriarcas. Foi bastante alterado no séc. XIX, antes de ser adquirido pelo banqueiro Henrique Burnay que o mandou decorar com sumptuosidade por alguns dos melhores artistas da época, como Ordoñes, Rodrigues Pita e Malhoa.

Palácio Burnay, Garden-party [1907]
Fotógrafo não identificado, in AML

Destacam-se as estufas, ao gosto fim de século que, simetricamente, integram o corpo do edifício e, no interior, o zimbório que envolve a escadaria, decorada em tromp l'oeil. A classificação como Imóvel de Interesse Público inclui o Palácio, anexos e jardim. Encontra-se ocupado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

Palácio Burnay, Garden-party [1907]
Fotógrafo não identificado, in AML

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics