sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Livraria Bertrand

 «Viúva vestida de seda preta geriu livraria no século XVIII»

 
Uma mulher a conduzir o destino de uma livraria no final do século XVIII não será o mais habitual na história literária, mas aconteceu em Lisboa, naquela que ostenta hoje o título de mais antiga do mundo. Invariavelmente vestida de seda preta, Marie Claire Rey Bertrand passou a liderar, sob a designação «Viúva Bertrand e Filho», o negócio de família depois da morte do seu marido, Jean Joseph.

Livraria Bertrand, Rua Garrett [séc. XIX]
Fotógrafo não identificado, in AML


Em 1753, o francês formara com o seu irmão, Pierre, a sociedade «Irmãos Bertrand», herdeira do estabelecimento fundado 21 anos antes por Pedro Faure na Rua Direita do Loreto, em Lisboa. Mais de 280 anos depois, a Bertrand mantém-se no Chiado – na Rua Garrett.

Por ali passaram e ficaram, em conversa de amigos ou em acesas tertúlias, Alexandre Herculano, Oliveira Martins, Eça de Queirós, Antero de Quental e Ramalho Ortigão.
Em 2011, o Guinness World Records reconheceu a Livraria Bertrand do Chiado como a mais antiga do mundo em funcionamento.(fonte(s):Bertand Editores;DN-Inês Banha)

Livraria Bertrand, Rua Garrett [s.d.]         
Fotógrafo não identificado

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics