sábado, 1 de agosto de 2015

Bairro Grandella

Foi na antiga Quinta dos Loureiros que Francisco Grandella edificou a fábrica com o seu nome e ao mesmo tempo uma vila para alojar os empregados. com um total de 86 fogos, foi construído a partir de 1902. Em posição de destaque, os dois edifícios com fachadas de templo grego, onde Grandella mandou instalar a creche e a escola primária para a crianças do Bairro.
Este bairro operário tem uma frente superior a 80m, virada para a Estrada de Benfica, com duas fachadas em forma de pórticos neoclássicos, que rematam dois quarteirões com cerca de 90m de profundidade. As ruas exteriores destinavam-se às famílias dos empregados dos escalões mais baixos, enquanto que o acesso aos fogos dos empregados dos escalões mais elevados era feito a partir da rua central.

Junto à Estrada de Benfica, abrangendo as Ruas de Sta. Matilde, do Dr. Gregório, R. Fernandes e a Av. dos Empregados dos Armazéns do Grandella [c. 1910]
Joshua Benoliel, in AML

Esta configuração urbana assenta em memórias materiais e espirituais integradas no ideário de socialismo utópico, pela preocupação evidente com o bem-estar dos empregados. Incorpora também expressões de cariz maçónico, como bem expressam as fachadas, quer por símbolos, quer nomeadamente pelo lema -- Sempre por Bom Caminho e Segue --. Também por isso, o conjunto, apesar de ter sofrido, ao longo do tempo, alguma descaracterização em relação ao projecto inicial, foi classificado, em 1984, como Imóvel de Interesse Público.  
(fonte(s): igespar.pt; marcasdasciencias.fc.ul.pt)

Junto à Estrada de Benfica, abrangendo as Ruas de Sta. Matilde, do Dr. Gregório, R. Fernandes e a Av. dos Empregados dos Armazéns do Grandella [c. 1910]
Festejos de Santo António e São João
Joshua Benoliel, in AML

Sem comentários:

Enviar um comentário

Web Analytics