terça-feira, 16 de junho de 2015

Palácio da Flor da Murta

Localizado entre a Rua de São Bento e a Rua do Poço dos Negros, no cunhal do palácio, é ainda visível o Brasão das armas dos Pereira Faria, Senhores de Aconchel, cuja descendente, D.Guiomar de Faria casou com D. Jorge de Meneses da Casa da Flor da Murta, tomando o palácio este nome.
A origem deste palácio tem por base uma casa nobre quinhentista, progressivamente reedificada ao longo dos séculos XVII e XVIII, facto que lhe imprimiu a sua feição actual, barroca. Apesar de pouco afectado pelo terramoto de 1755, o edifício acabou por cair em ruína.
Já no século XX foi desafectada a capela, da invocação de Nossa Senhora de Monserrate, da qual resta o portal encimado por frontão triangular e cruz, na fachada lateral e, mais tarde, foram também removidos alguns painéis de azulejos.
Actualmente, mantém-se apenas a fachada do palácio porque o mesmo foi alvo de recuperação e transformado num condomínio para habitação.

Rua de São Bento  com a Rua do Poço dos Negros [1908]
Machado & Souza, in AML

O palácio ficou sobretudo célebre no século XVIII, pois nele viveu em 1731, a bela D. Luísa Clara de Portugal da casa dos Castelo Melhor, aia da Rainha D. Maria Ana de Aústria e amante do Rei D. João V, tendo ficado conhecida para a história como a Flor da Murta. (cm-lisboa.pt)

1 comentário:

  1. Muito interessante e curiosa a história de vida desta "Flor da Murta"

    ResponderEliminar

Web Analytics