Monday, 29 June 2015

Beco do Marquês de Angeja

Sobre a origem deste Beco que se abre entre os nºs 26 e 28 da Rua de São João da Praça e sobre o seu topónimo refere Luís Pastor de Macedo:

«Este beco ocupa um terço aproximadamente, do comprimento da antiga rua das Atafonas, rua que fazia a comunicação entre a praça do Marechal e a rua do Tem-te-lá, […] e que já é citada no Livro de lançamento e serviço, etc., de 1565. (…) Mais tarde, já no século XVIII (1726) deu-se também à serventia a qualificação de beco. A razão por que depois do terremoto foi substituído o nome de rua das Atafonas pelo do Marquês de Angeja já a explicou Gomes de Brito: ‘Um pouco mais adiante na boca da rua das Atafonas, na mesma linha do Tem-te-lá, abria-se um pequeno beco, sem saída, aquém chamavam do Pardieiro, por haver aí, com efeito, uma barraca em ruína, que fechava o beco e servia de palheiro ao Marquês, cujo palácio ficava ao lado fronteiro, encostado à velha muralha mourisca. Levantada pelo novo alinhamento a propriedade da actual rua de S. João da Praça, desapareceu nela o beco do Pardieiro, mas a circunstância de ter ele pertencido ao Marquês fixou no beco antecedente o título desta casa’. A primeira vez que vemos apontar o beco do Marquês de Angeja é em 1802, tendo porém antes, e desde 1775, a qualificação de pátio – pátio do Exmº Marquês de Angeja».
(cm-lisboa.pt)

Beco do Marquês de Angeja [c. 1900]
Rua de São João da Praça; Cerca (Torre) Moura
in A.M.L.

No comments:

Post a Comment

Web Analytics